Claudia Collar

Saude mental em tempos de COVID

O que é saúde mental? Esse tema vem sendo discutido há muitos anos, mas nunca foi tão pertinente, talvez a primeira resposta que venha a mente seja, ausência de doença, mas não é somente isso.

A Organização Mundial de Saude, descreve saúde mental como um estado de bem estar no qual o individuo exprime suas capacidades de enfrentamento dos estressores da vida, trabalha produtivamente e de modo frutífero, e contribui para sua comunidade.

Em 2004, os pesquisadores Herrman, Saxena, Moodie & Walker, já referiam saúde mental como parte integral da saúde, estando intimamente ligada com a saúde física e com o comportamento.

Para o Terapeuta Ocupacional, o objetivo com pessoas que apresentem transtornos ou dificuldades de enfrentamento das diversidades do dia a dia, é tornar o cliente/paciente funcional, trabalhando os aspectos subjetivos deste, visando que este possa se apropriar de sua vida e das relações interpessoais sendo essas afetivas (relacionamento, família, amigos entre outras) ou sociais (comunidades e trabalho).

Em época de covid vários foram os desafios, em especial um “teste” para avaliar como esta a nossa saúde mental, muitas pessoas se contaminando e morrendo, muitas incertezas, quais as pessoas em risco, idosos, com doenças pré existentes, e varias quebras em função do que ia sendo dito; além disso as mudanças de rotinas, filhos em casa, trabalho em casa, e a maioria das famílias com todos os membros em casa, uma rotina completamente alterada, papeis ocupacionais(mãe, dona de casa, mulher, marido, pai, filho, irmãos, entre outros) e tudo retratando o estado de saúde mental das pessoas.

O que influencia, como se lida com a tal saúde mental,  quais são nossos recursos mentais, como está nossa inteligência emocional, resiliência, coping, todas essas relacionadas a quem somos não somente frente ao covid, “agora” entendo como o grande desafio termos que nos olhar, quem somos, como pensamos, quais nossos medos, como nos relacionamos, levamos a sério ou não o nosso desenvolvimento, estamos ou não comprometidos com nossa evolução e nossos pares sejam estes familiares de convivência direta(moram conosco) os mais distantes, entre outras relações, quais são os nossos desafios?? A mim parece que o COVID, nos obrigou a olhar tudo na nossa vida, mas ele não pode dizer quais nossas escolhas.

Dicas:

– O cuidado com a contaminação é para me preservar e a todos que estão a volta, assim o uso correto da máscara, a higiene das mãos o álcool gel, são muito importantes e assim meio caminho;

– Não aglomerar, continua sendo essencial, pois o vírus não dará trégua porque é natal, virada de ano ou verão;

– Se a pessoa sabe que é ansiosa e esta fazendo sua parte se cuidando, sugiro não ficar olhando noticiário;

– Explique para as crianças porque esse ano as festas/verão serão diferentes, usem a tecnologia para reuniões familiares;

– Se sou meio desligado e não acredito muito no que estão falando, devo buscar nos noticiários as informações para me convencer que além de mim tenho que proteger as pessoas que convivem comigo;

-Como muitas pessoas estão em casa, a organização desta rotina é muito importante,  as crianças podem ter mais dificuldades nesse entendimento, então combinações claras (como horário da aula, das tarefas, de brincar), além de organizar um tempo seu(pai e mãe) horário do trabalho, da organização da casa, de dar atenção aos filhos, pros bichos de estimação, para se cuidar, para fazer atividades de prazer, a divisão de tarefas mesmo com os pequenos, que podem ter compromissos compatíveis com sua idade.

– Se você sentir muita dificuldade nestas vivências todas, talvez seja o momento de olhar para você de uma forma ainda não olhada e fazer investimento em profissionais que possam o ajudar, a Terapia Ocupacional é um ótimo aliado a ajudar as pessoas a se apropriarem de seus papeis ocupacionais(mãe, pai, trabalhador, filha, dona de casa, educadora, entre tantos) sejam esses quais forem.

Eu sou Claudia Collar, mãe, dona de casa, mulher e Terapeuta Ocupacional, mestre em reabilitação e inclusão, especialização em dinâmicas dos grupos, especialização em ergonomia, formação em coaching, menthoring e advice sistêmicos, formação em estudos das personalidades pelo eneagrama e formação em coaching quântico sistêmico, com experiência profissional da mais de 15 anos.