Claudia Collar

Inclusão e Acessibilidade

No Brasil, aproximadamente 23,9% da população possui algum tipo de deficiência(visual, auditiva, física e intelectual), não incluindo neste numero os transtornos do desenvolvimento e diagnósticos de saúde mental.

Quando se pensa em inclusão e acessibilidade, logo se imagina uma pessoa com deficiência, mas não são somente eles que precisam, qualquer um pode por uma lesão temporária precisar(elevador, rampas, entre outras), também não podemos esquecer o aumento das taxas de envelhecimento, pessoas essas que provavelmente são produtivas, mas não tem a mesma mobilidade(OMS,2008).

A pessoa com deficiência precisa da acessibilidade para ser incluída. Existe mais de um tipo de acessibilidade, a mais conhecida é a arquitetônica, abaixo outras:

  1. Acessibilidade atitudinal

Essa acessibilidade é uma das mais discriminatórias, pois mostra a dificuldade das pessoas frente ao diferente e está cheia de estereótipos, preconceitos e estigmas, pode tanto desqualificar quanto entender o deficiente como coitadinho.

O segredo para essa é o conhecimento, saber sobre as deficiências ou perguntar para o deficiente qual a sua dificuldade, provavelmente solucionaria.

  • Acessibilidade arquitetônica

Arquitetônica está relacionada a adequação de espaços e a extinção de barreiras físicas e ou ambientais dentro das residências, espaços públicos e privados, através de rampas, elevadores, banheiros adaptados, piso tátil nas calçadas, corrimãos entre outros. A NBR 9050, fala desta acessibilidade.

  • Acessibilidade metodológica

Conhecida como acessibilidade metodológica, diminuindo as barreiras nas metodologias de ensino.

ex: um aluno cego, usando equipamento eletrônico com programa de voz, para realizar trabalhos ou provas;

Um aluno com dislexia, podendo gravar a aula;

Essa acessibilidade da conta de qualquer deficiência, ou diagnóstico que para o bom desempenho possa ser disponibilizado, tanto no estudo quanto no trabalho.

  • Acessibilidade instrumental

A instrumental está relacionada a tudo que é utensilio, instrumento ou tecnologia que possibilite as atividades.

Ex: software de voz para pessoas cegas;

–  Pracinha com brinquedos adaptados para crianças;

– Utensílios adaptados, para pessoas com lesões/amputação de mão, entre outros.

  • Acessibilidade programática

São as leis, as normas, regimentos ou estatutos, neste caso podemos citar;

– estatuto da criança

– estatuto do idoso;

– lei brasileira de inclusão 13 146 / 15 ou ainda

– convenção da ONU sobre os direitos da pessoa com deficiência e ainda a NBR 9050 da acessibilidade.

  • Acessibilidade nas comunicações

Garante o acesso através da comunicação interpessoal (intérprete de LIBRAS, áudio descrição de imagens #pracegover), cinema, teatro ou espetáculos inclusivos, materiais em braile, áudio books e todas as formas que facilitem a comunicação da pessoa com deficiência ou temporariamente com dificuldade de se comunicar.

Ex: comunicação alternativa em hospitais, para pacientes com consciência preservada, mas impossibilitados de falar.

  • Acessibilidade natural

Extinção de barreiras da natureza.

ex: cadeirante utilizando cadeiras próprias para areia.

  • Acessibilidade dos transportes

Possibilidade de transportes adaptados a sua deficiência, incluindo os  transportes públicos.

Claudia Collar – Terapeuta Ocupacional CREFITO 9079 #claudia_collar #inclusao #acessibilidade #diversidade #pessoacomdeficiencia #acessibilidadearquitetonica #acessibilidadenatural #acessibilidademetodologica #acessibilidadeatitudinal #acessibilidadetransportes #acessibilidadenascomunicações #acessibilidadeprogramática #acessibilidadeinstrumental.